domingo, maio 04, 2008

QUE FITA VAI HOJE? - ONTEM E ANTEONTEM

Faltei - e tornei a faltar. E deixei asim de me referir a tempo e horas à maratona disponível no TCM sexta-feira à noite - das 20.00 em diante: primeiro, o conhecido Doze indomáveis patifes (The Dirty Dozen, Robert Aldrich, 1967), um grande regresso, pelo menos como profissional, à primeira forma de um realizador em que a aplicação dos preconceitos da famosa politique des auteurs só cria confusão - pois não se pode confundir o que fez de melhor e de pior numa carreira com três dezenas de filmes que não merecem, acho eu, nem de longe, uma igual consideração. Não me convém agora entrar em pormenores e fico-me pelo melhor, que não é pouco: Aldrich realizou nada mais nada menos que os seguintes filmes: em 1954, Apache (Burt Lancaster, um actor a recordar extensamente, um dia) e Vera Cruz (com Lancaster, também, Gary Cooper e Sara Montiel, com dois nomes também a recordar no argumento: Borden Chase e Roland Kibbee, que explicam muita coisa - os filmes são escritos...), em 1955, Kiss me Deadly (um filme noir tardio que tem um lugar à parte no género e se baseia num romance de Mickey Spillane e tem provavelmente o melhor intérprete para o papel de Mike Hammer, Ralph Meeker) e The Big Knife (de uma peça de Clifford Odets) - depois dou os títulos portugueses, que não tenho à mão. Depois, passavam Shoot the Moon (1982, Alan Parker, um drama "romântico" muito bem construído, filmado e interpretado, com Diane Keaton e Albert Finney), o Dr. Jeckill e Mr. Hyde de Victor Fleming, com Spencer Tracy e Ingrid Bergman e o Dodge City de Michael Curtiz, uma cowbóiada célebre, com Errol Flynn. Ontem. a programação não era tão espectacular, mesmo dando a volta aos nossos canais todos, mas a RTP 2 mostrou O Estado do Mundo, uma curiosidade, em que podíamos ver em acção alguns realizadores "independentes", entre os quais o português Pedro Costa. Para hoje, lembro que no TCM às 20.00, passa outra vez o Fame (1980, outro filme dirigido por Alan Parker) e, sobretudo, Assassinos substitutos (The Replacemente Killers, 1998, com Chow Yun-Fat e Mira Sorvino) um "filme de acção" da minha especial predilecção, um gosto talvez incompreensível para muita gente, realizado por Antoine Fuqua e muito superior, na minha modesta opinião, ao premiado e medíocre Dia de Treino (Training Day, 2001) do mesmo realizador, com um Denzel Washington muito pouco convincente.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial