segunda-feira, outubro 30, 2006

Nostalgias 3



Outra fita marcante de Julie Christie foi The Go-Between, de Joseph Loosey, com Alan Bates - que faz de Ted Burgess, o agricultor rude que tem um caso com a lindíssima Marian Mandsley (a própria Julie Christie).
O go-between (Leo) recorda esta história de infância, em que levava as cartas dos dois amantes. O filme é um retrato crítico do sistema de classes inglês,nos princípios do século XX e da sua "hipocrisia", com Harold Pinter e L. P. Hartley, como autores da história.
É importante esta aparente contradição do sistema inglês de classes sociais, que é o mais "estratificado" do Ocidente, e a moderação e integração da História política inglesa. Talvez porque em Inglaterra a "revolução" foi no século XVII e depois só houve reformas, ou seja, a promoção social funcionou por cooptação - individual ou colectiva-sem rupturas.
Talvez também por isso os marxistas ingleses são tão marxistas, e a questão dos grupos sociais - tratada de forma "séria" neste Go-Between ou na Forsight Saga ou mesmo nos romances de Jane Austen ou, perto de nós, por Evelyn Waugh ou Aldous Huxley ,e de modo mais solto e humorístico em Gosford Park e Upstairs-Downstairs- seja tão central.
Falaremos disto, mas aqui ficam mais "Julie Christies".

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial