quinta-feira, março 15, 2007

Sorti de notre passé lointain,un "Feu Follet"perce la nuit

Drieu de la Rochelle foi um autor essencial para a minha geração: foi o mais lúcido e mais político dos"malditos", bem longe do romantismo de Brasillach, dos delírios panfletários de Céline, das militâncias básicas dos "colabos" oportunistas. Autor de um romance ideológico"confessional"- "Gilles"- e de fábulas fantásticas como "L'homme à cheval", Drieu, na sua complexidade de dandy visionário ou de "último europeu", deixou outros livros, ditos menores, que são entretanto admiráveis..È o caso "Feu Follet",depois no cinema com Maurice Ronet.Ainda por cima num Paris parado no tempo,memória do futuro.

1 Comentários:

Blogger F. Santos disse...

Louis Malle faz justiça a Drieu neste filme magnífico. Permito-me realçar o pequeno livro "Récit Secret", que bem ajuda a compreender o pensamento e a mentalidade do grande escritor.

quinta-feira, março 15, 2007 4:22:00 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial