segunda-feira, novembro 03, 2008

QUE FITA VAI HOJE? - ERRATA

No anterior post, um erro garrafal: os filmes de que falei não passavam no AXN, era no Hollywood! Aqui fica a correcção - e ficam as minhas desculpas (num dos fascinantes momentos que estes meios permitem, já me dei ao prazer estalinista de reescrever a história). Mas a AXN também tinha merecido uma menção ontem: valia a pena ter lá ido ver (muito cedo!) One False Move (Confronto em L.A., 1992) de uma "grande esperança negra", Carl Franklin, um realizador que tem sido sempre interessante, e depois o Calúnia, (Absence of Malice, 1981) em que Sidney Pollack e Paul Newman mostram como a questão dos limites da liberdade de imprensa - ou a falta deles - é finalmente, como muitas outras coisas, uma questão de simples decência. Hoje, o mesmo Hollywood a que ontem troquei o nome, deu-nos à tarde a oportunidade de ver Atrás do espelho (Bigger than Life, 1956), um filme de Nicholas Ray que, de passagem e oblíquamente, traça um virulento retrato do politicamente correcto no sistema de ensino e educação nos Estados Unidos: podia chamar-se, como se chamou em português um dos filmes de Frank Capra, "um doido com juízo" e é interessante confrontá-lo com um dos temas, senão "o" tema, de um outro filme de Nick Ray, o famoso Rebelde sem causa (Rebel Without a Cause, 1955), a falência do "poder paternal"; no Hollywood pode ainda ver-se, à 1.00, American Gigolo, uma espécie de remake do Pickpocket de Robert Bresson, escrito e dirigido por Paul Schrader (não por acaso este cineasta e crítico escreveu o livro Transcendental Style in Film: Ozu, Bresson, Dreyer).

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial