sexta-feira, março 28, 2008

QUE FITA VAI HOJE? - A LEI E A DESORDEM

Hoje, mais uma vez, quem nos salva é a RTP Memória (o conhecimento antecipado da programação do TCM continua a ser um mistério insondável para mim). Às 22.15 exibe O Homem das Pistolas de Ouro (Warlock, 1959), um filme de cow-boys de Edward Dmytryk, um realizador cuja carreira foi praticamente liquidada não por ser um dos famosos "dez de Hollywood", os comunistas ou ex-comunistas que se recusaram a testemunhar perante a Comissão Parlamentar sobre Actividades Não (ou Anti) -Americanas, mas justamente porque depois de pensar no assunto duas vezes decidiu reconhecer o papel dos tiranetes do PC no mundo do cinema (há alguns elementos sobre esta questão e as posições de E. Dmytryk no número 50 da Futuro Presente: "O Perigo Vermelho" e "Edward Dmytryk"). Como lá se escreveu "Dmytryk chegou a ser nos anos 40 uma das esperanças do cinema americano, com filmes como Crossfire e Murder, My Sweet. Nunca foi um realizador muito acima da média, embora tenha uma filmografia com muitos filmes sólidos e interessantes. Na segunda fase da sua carreira, a obra mais memorável foi Os revoltados do Caine, que ao lado de Há lodo no cais, um filme contemporâneo mas muito superior de Elia Kazan, sempre foi 'lido' como uma justificação da sua posição perante o HCUA e consequentemente merecdor de igual desprezo pela crítica bem-pensante." Ele próprio se explicou em Odd Man Out, A Memoir of the Hollywood Ten (1996). Nos últimos tempos do resto da sua vida dedicou-se ao ensino do cinema e escreveu um livro sobre montagem cinematográfica. Morreu em 1999. Sobre O Homem das Pistolas de Ouro, um título português bastante rocócó, Manuel Múrias escreveu uma nota crítica interessante que tentarei exumar e publicar aqui. Entretanto, morreu no passado dia 24, velhinho e sem muita pompa, o actor Richard Widmark, de quem falaremos.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial