sábado, junho 14, 2008

NÃO - MAS SIM

As regras são claras - mas só se aplicam quando o resultado é o que "nós" queremos. O "não" do referendo da Irlanda, para todos os efeitos, matou o Tratado de Lisboa. Só falta enterrá-lo, ao lado da primeira versão? Nem pensar. Isto é apenas uma "crise" passageira. Houve muita abstenção (felizmente nunca tive a tentação do argumento "abstencionista" e por isso estou à vontade para o achar muito curioso). A Irlanda que resolva como quiser esta mínima "dificuldade". Seguimos em frente. Como na história do Raúl Solnado - havemos de ser todos bombeiros voluntários quer queiramos quer não.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial