sábado, fevereiro 28, 2009

QUE FITA VAI HOJE? - PORQUE HOJE É SÁBADO

A RTPMemória passa hoje às 21.20 As neves de Kilimanjaro (The Snows of Kilimanjaro, 1952), em que Gregory Peck tem o papel principal - não é das suas melhores interpretações - numa adaptação da obra de Ernest Hemingway ("Uma grande história de amor vivida em plena luta pela sobrevivência" - com Ava Gardner e Susan Hayward). É mais uma "Noite de Cinema" na RTPM, uma rubrica que inclui um quarto de hora de "apresentação"; ainda não vi nenhuma destas apresentações - mas se vir alguma, comentarei. Henry King, o realizador do filme de hoje, teve melhor resultado na sua outra adaptação de Hemingway (Fiesta ou The Sun Also Rises, 1957), um filme que já aqui foi comentado. Eram os últimos anos da sua carreira, uma fase em que não só esteve quase sempre acompanhado por Gregory Peck como acabou por dedicar também dois filmes ao outro emblema literário da época de Hemingway, o seu amigo, rival e "duplo" Francis Scott Fitzgerald: o último filme de H. King foi uma honrosa adaptação do grande romance de Fitzgerald Tender is the Night (Terna é a noite, 1962) e o penúltimo, em 1959, um relato biográfico dedicado ao escritor e á sua companheira dos últimos tempos, a jornalista Sheilah Graham, Beloved Infidel (A amada infiel), baseado no livro do mesmo título que ela escreveu. "Tanto temática como formalmente o filme define o estilo pobre, mas pessoal, do nosso bem conhecido Henry King", escreveu à época - princípios de 1959 - no Diário da Manhã, Manuel Moutinho (Múrias). Às 21.30 no Hollywood não se pode perder Breakfast at Tiffany's (Boneca de luxo, 1961): Blake Edwards adapta Truman Capote (este sábado é marcado pela presença da grande litertura americana do século passado) e embora nos obrigue a ver George Peppard também nos permite disfrutar de Audrey Hepburn como Holly Golightly, uma das suas menos características e melhores interpretações (mais Patricia Neal, um estranho japonês chamado Mickey Rooney, Martin Balsam, etc.) - e ouvir a canção Moon River de Johnny Mercer e Henry Mancini (cantada pela própria Hepburn). Poucas vezes o lado glamoroso do luxo nova-iorquino foi tão excitante no cinema. No TCM, às 20.00, Raintree Country (A árvore da vida, 1957) com Montgomery Clift e Elisabeth Taylor, um drama sulista dirigido por Edward Dmytryk, e a seguir o Diner (Adeus, amigos, 1982), onde se pode ver Mickey (The Wrestler) Rourke nos seus princípios. A sessão dupla da RTP2 hoje é mesmo para hardliners da cinefilia: A criança, (L'enfant, 2005, dos irmãos Dardenne, belgas, e um filme germano-austríaco (Os edukadores, 2004). À 1.00, a SIC exibe um filme mal amado de John Frankenheimer e que é, de facto, uma "comédia negra" gratuita e improvável de gente sórdida num mundo sórdido, escrita e posta em cena com impecável precisão e a necessária verosimilhança: revejo sempre, quando posso: Jogo de traições (Reindeer Games, 2000).

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial