terça-feira, maio 16, 2006

Vivos e Mortos

Na nossa secção VIVOS OU MORTOS vamos publicar um texto sobre Noam Chomsky, cedido pela revista Commentary, a conhecida revista dos judeus "conservadores" americanos com que mantemos uma velha relação. A caba de sair mais um virulento panfleto contra a política norte-americana do famoso – para alguns famigerado - filólogo e activista, Failed States. Chomsky foi escolhido ainda não há muito tempo pela revista Prospect (Outubro de 2005, número comemorativo do 10º aniversário da revista), numa iniciativa conjunta com a Foreign Policy americana, como um dos cem intelectuais "públicos" mais importantes do mundo. Ao explicar os critérios da escolha a Prospect dizia que "Os candidatos tinham de estar vivos e ainda activos na vida pública (embora muitos dos que incluímos na lista já não estejam no auge das suas faculdades). Isto excluiu pessoas como Milton Friedman ou Solzhenitsyn que teriam sido automaticamente incluídos numa lista destas há 20 anos." E por aí fora.
A morte de Soljenitsine que a "a melhor publicação política do ano" assim nos anunciou de passagem é uma notícia manifestamente exagerada, como diria Mark Twain, visto que o defunto escritor russo ainda este mês foi entrevistado para o Moscow News ("Salvar a nação é a primeira prioridade do Estado", é o cabeçalho das declarações de Soljenitsine). Lapso freudiano, wishful thinking, ou seja tomar os desejos por realidades?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial