segunda-feira, março 10, 2008

QUE FITA VAI HOJE? - DEZ DE MARÇO

Para já, é mais "que fita foi ontem?". Uma dificuldade técnica impediu-me de comparecer aqui de quinta-feira em diante mas não quero deixar de assinalar, primeiro, que a sessão dupla dos sábados da RTP2 parece ter definitivamente dado lugar a uma sessão "singular", que neste último fim de semana foi mesmo uma meia sessão visto que Um Longo Domingo de Noivado (Un Long Dimanche de Fiançailles, de Jean-Pierre Jeunet, 2004), misteriosamente, e sem mais explicações, ficou a meio. A partir de um livro de Sebastien Japrisot, escritor veterano do romance policial francês cujos romances foram todos adaptados ao cinema, é um filme que, independentemente de outras considerações, se insere numa súbita curiosidade pela Grande Guerra (1914-18) que se tem manifestado nos últimos anos em romances, séries de televisão, filmes, efemérides jornalísticas ou livros de história (não vou alongar-me, mas The Pity of War, do historiador Niall Ferguson e a trilogia romanesca de Pat Barker, Regeneration, entre outras obras, foram o prelúdio desta recente voga). Em segundo lugar, entre sábado e domingo passaram, entre outros, os filmes Wild Things (Ligações Perigosas, um filme criminal doublé de comédia negra do realizador John McNaughton, 1998), Pretty Woman (Um Sonho de Mulher, 1990, Garry Marshall, com Julia Roberts e Richard Gere, uma espécie de manual do perfeito conto de fadas para pessoas crescidas da era do "fim da história"), o sempre irresistível The Maltese Falcon, (O Falcão Maltês, 1941, o primeiro filme de John Huston, com Humphrey Bogart e Sidney Greenstreet, além de Peter Lorre et al.).
Na Cinememória de hoje, na RTP Memória, além de ter passado à tarde The Gang's All Here, uma das últimas extravagâncias plástico-musicais do coreógrafo e realizador Busby Berkeley, em esplendoroso technicolor (Sinfonia de estrelas, 1943), é exibido esta noite Viagem ao fundo do mar (1964) um filme não especialmente interessante mas que é uma das raras oportunidades que a televisão nos dá de ver o actor Richard Basehart, actor americano que entrou em dezenas de filmes, incluindo um film noir de segunda escolha mas alguns méritos intitulado He Walked by Night (1948) e, mais inesperadamente, La Strada (1955) e Il Bidone (O Conto do Vigário, 1956), de Fellini. Só para acabar: às 23.45 de hoje o Canal Hollywood torna a exibir Na Vigília da Noite, o filme de Ridley Scott que, a par de Blade Runner e Black Rain, mais gostosamente revejo e no qual, como aponta com muita agudeza David Thomson, há um magnífico "apartamento de luxo em Manhattan que se torna um personagem da história" (Someone to Watch Over Me, 1987).

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial