sábado, dezembro 06, 2008

O HOMEM QUE ERA QUINTA-FEIRA

"No auge da Guerra Fria, nos anos 50, o Partido Comunista Americano era uma pálida sombra do que tinha sido duas décadas antes. Graças ao FBI, às sessões de inquérito do Senador MacCarthy e à Comissão sobre Actividades Não-americanas da Câmara dos Representantes, às listas negras, aos despedimentos e ao medo generalizado, as fileiras do Partido tinham emagrecido radicalmente. E no entanto continuava vivo. A sua sobrevivência devia-se em não pequena medida aos informadores do FBI lá filiados, os quais, gente afeita às rotinas burocráticas, continuavam a assistir às reuniões do Partido e a pagar as quotas; não faziam, no fim de contas, mais do que a sua obrigação. Sem o apoio do FBI o Partido talvez se tivesse completamente desvanecido."

(James Scott, London Review of Books, 9 de Outubro de 2008, recensão do livro Empires of Intelligence, de Martin Thomas)

1 Comentários:

Blogger Ricardo Lima disse...

Que ironia ! Pelo menos não têm a percentagem da população que nós temos filiada num partido que exalta a Coreia do Norte publicamente.

quarta-feira, dezembro 10, 2008 3:50:00 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial