sexta-feira, maio 19, 2006

Os Selos da Fortuna

No mercado ibérico, coube aos portugueses expatriados na Espanha, o record da grande burla. Mais uma vez um esquema de cadeia sucessiva de "investidores", que se vai auto-alimentando, os que chegam depois pagam para os que já lá estão, até que a montanha mágica desaba, ou porque uns desconfiam ou porque se corta a linha de abastecimento de novos associados.
Foi o que aconteceu com o negócio dos selos do Sr. Albertino Figueiredo, que desabou, no meio de grande ruído da imprensa espanhola e portuguesa, deixando mais de 200.000 clientes com as suas poupanças comprometidas. Agora toda a gente diz que desconfia ou desconfiava. Mas o facto é que Albertino Figueiredo tinha chegado aos píncaros da consagração e da condecoração políticas, em Lisboa e Madrid.
Se os "grandes" deste mundo o acolhiam, porque haviam os pequenos de desconfiar?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial