segunda-feira, julho 09, 2007

ESQUERDA E DIREITA, AINDA OUTRA VEZ

Contributo para afinar a diferença entre "esquerda" e "direita", o contraste de dois artigos que saíram lado a lado no Público a propósito da nova legislação sobre o fumo (o fumo dos cigarros, bem se vê..): um, "Os benefícios do tabaco", de Vasco Pulido Valente, o outro de um autor cujo nome não tenho à mão, com um título de que não me lembro de momento. É um elucidativo "caso prático": de um lado, boas letras, uma posição pessoal, a experiência concreta do escritor; do outro, muita generalidade, muito dedo espetado sobre os vícios e pecados dos outros, prosa muito feia - e sempre, sempre, a ideia de surveiller et punir, como diria Michel Foucault. A desenvolver. Descobri por acaso, também por estes dias, um artigo interessante sobre a vexatória questão: "What it means to be a conservative", de Owen Harries, que traduziremos aqui. Já agora, foi num artigo de Harries que encontrei uma grande frase de John Anderson sobre a mentalidade de muitos dos nossos contemporâneos que sofrem de uma maleita a que chama the parochialism of the present, "o provincianismo do presente" ou "a parolice do presente", a ideia corrente de que nunca nada foi como agora, nunca qualquer outra geração viveu coisas parecidas com o que nós vivemos.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial