segunda-feira, setembro 25, 2006

Antropologia política

O pessimista: O historiador inglês Tawney, à pergunta sobre se, no decurso da sua longa vida tinha observado progresso:
"Yes, in the deportment of dogs. Dogs were much worse behaved when I was a boy".

A optimista: "O bom de falar de sexo é que uma pessoa nunca se cansa. Pode cansar-se de fazer, mas de falar sobre o tema é que não, até porque dá muito menos trabalho".
Margarida Rebelo Pinto, O Sol, 16.09.06.

A realista: "Un convenio que tendremos que rectificar... Que es para coger dinero, coño!"
Palavres da ex-alcaide de Marbella, Marisol Yague, à sua colega Isabel Garcia Marcos, a respeito de um suborno em curso; a gravação nas escutas telefónicas levou as duas à prisão.

1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Não sou um moralista, nem sequer creio que a manutenção de tabus auxilie a abertura de espírito que conviria manter relativamente a assuntos que deveriam envolver tanta naturalidade como o sexo. Contudo, no caso de Margarida Rebelo Pinto creio que a "escritora" talvez ande a querer personalizar as questiúnculas quotidianas das protagonistas do "Sexo e a Cidade", e de forma bastante medíocre, acrescente-se. Eu ainda não entendi bem o que a criatura pretende- ela é sexóloga, por acaso? É que ele é artigos na Maxmen, no Sol, ele é programas de televisão e lá temos a MRP a discorrer banalidades sobre os orgãos genitais e a forma de serem ou não o alvo das atenções femininas ou masculinas. Que se fale de sexo de forma positiva tudo bem, mas que se o converta em obsessão, não me parece muito saudável. Só me apeteceria dizer-lhe: "Margarida, ao contrário do que a rica pretenderia, a vida não é só sexo, há outras dimensões na vida de um ser humano. Veja menos séries, deixe de dar tanta importância à vulgaridade e eleve-se, nem que seja à custa de slatos altos"

quarta-feira, outubro 04, 2006 11:22:00 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial