quarta-feira, setembro 20, 2006

Breves 2

Jornais: Acabam uns e começam outros; há "novos" e outros que procuram renovar-se, à medida (também) da concorrência. O resultado: formatos menores - "tabloidizando-se" - mais bonecos, textos mais curtos. Procura-se um consumidor-tipo que "não tem tempo" ou "não gosta" de ler, ou não tem paciência.
Serve-se-lhe depois, um buffet froid e light, coisinhas. O mundo com (pequeno) espectáculo e com brindes. Depois escandalizam-se com o desastre educativo e a baixa literacia.


Cidade eterna: Não me canso de Roma. Passei lá, dois dias de cada vez, em Junho; e em Julho a caminho de Split, na Croácia. Voltei lá na semana passada. Tenho o meu hotel de 20 anos, o Sant'Anna, no Borgho Pio, e depois ando a pé, faço o itinerário até à Piazza del Popolo, a Via Condotti, a Piazza di Spagna, a Babuino com os seus antiquários nem sempre seguros, a loja da militaria. E no fim uma volta nos livros da Feltrinelli, ainda com os retratos dos anos dourados da esquerda intelectual italiana - do Moravia, do próprio Feltrinelli acompanhados pelo tipo de mulheres bonitas da época, estilo Michèlle Morgan a fazerem a transição para Claudia Cardinale.
Compro filmes antigos em DVD: Tótós, Alberto Sordi, e coisas mais sérias: um documentário de Marcello Mastroiani, "Mi ricordo, si io mi ricordo"; uma autobiografia, aliás filmada em Portugal, nos intervalos da filmagem de Viagem ao princípio do mundo de Manuel de Oliveira; e I Ciano: recorrendo ao riquíssimo arquivo do Instituto Luce, Nicola Caracciolo reconstituiu a história de Eda e Galeazzo Ciano, em edição do Instituto Luce, 2005. Uma tragédia bem italiana.
Leio o nº 3 de 2006 de Limes - a magnífica "revista italiana de geopolítica". É temática, sobre a África subsahariana e como sempre uma monografia actualíssima, crítica, sem as correcções políticas que invadiram também estes estudos. O director executivo de Limes é Lucio Caracciolo, e a publicação integra-se no Grupo Expresso. (site:
http://www.limesonline.com).

Decadência do "star system": Oitenta anos da morte de Rodolfo Valentino; o funeral foi em Agosto de 1926, em Nova Yorque, descendo a Broadway, um cortejo impressionante com motociclistas e polícias a cavalo, pelo meio de multidões que gritavam "Goodbye Rudy". Com ele e com Mary Pickford e William S. Hart e Douglas Fairbanks tinha nascido, no cinema, o star system. As grandes produções do mudo, consolidadas com o famoso Birth of a Nation de Griffith (1915), marcaram o sistema, que nos anos 20 seria prosseguido por Cecil B. de Mille, Chaplin e os "artistas" - John Gilbert, Gloria Swanson, Lilian Gish. As vidas pessoais dos actores passaram a interessar como "ídolos" e "ícones".
Também aí acabámos aqui e agora nas revistas côr-de-rosa, temos essencialmente as Elsas Raposos, e respectivos "condes", "barões" e condes-barões

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial