quinta-feira, agosto 16, 2007

CARROS BOMBA: A FORÇA AÉREA DOS POBRES

Quem estiver disposto a ficar a saber mais do que talvez queira sobre a história dos carros-bomba, pode ler Buda's Wagon, de Mike Davis, "uma breve história do carro-bomba" (Verso, 2007). Segundo o autor, o primeiro carro-bomba não foi bem um carro -foi uma carroça, a carroça puxada a cavalos e carregada de explosivos que um anarquista italiano fez rebentar em Wall Street nos anos 20 do século passado (o anarquista chamava-se Marco Buda). O autor tem "o coração no seu lugar", como dizem os ingleses, o que quer dizer que os carros-bomba do Stern Gang sionista nos anos 40 foram um sinistro instrumento daquela organização terrorista "de direita" e em compensação o uso que o Hezbollah fez dos carros-bomba no Líbano foi "implacável e brilhante". Mas está lá tudo.

P.S. Tornou-se habitual dizer dos carros-bomba - como alguém em tempos se lembrou de dizer - que "são a força aérea dos pobres", como se diz que o terrorismo é "a bomba atómica dos pobres". Percebe-se a vantagem propagandística para os bombistas e os terroristas destas comparações - e também a parte de verdade que têm.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial