segunda-feira, outubro 09, 2006

Anjo de Portugal

Anjo de Portugal, do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, de Diogo Pires-o-Moço
Nestes momentos de desânimo, é importante que nos lembremos do Anjo de Portugal, pedindo-lhe a sua protecção para o País.
Notícia histórica
"A pedido do rei Dom Manuel e dos bispos portugueses, o Papa Leão X instituiu em 1504 a festa do «Anjo Custódio do Reino» cujo culto já era antigo em Portugal.
Oficializada a celebração tradicional, Dom Manuel expediu alvarás às Câmaras Municipais a determinar que essas festas em honra do nosso Anjo da Guarda fossem celebradas com a maior solenidade. Na festa do Anjo de Portugal deveriam participar as autoridades e instituições das cidades e vilas além de todo o povo.
Esta celebração manteve o seu esplendor durante os séculos XVI, XVII e XVIII em que Portugal também manteve o seu esplendor e decaiu no século XIX em que Portugal também decaiu.
Por determinação das Ordenações Manuelinas a festa do Anjo de Portugal era equiparada à festa do Corpo de Deus, já então a maior festa religiosa de Portugal, em que toda a nação afirma a sua Fé na presença real de Cristo na eucaristia.
De acordo com o testemunho dos Pastorinhos de Fátima, em 1915 e 1916 o Anjo de Portugal apareceu por diversas vezes a anunciar as aparições de Nossa Senhora nesta sua Terra de Santa Maria e deu aos Pastorinhos a comunhão com o «preciosíssimo corpo, sangue, alma e divindade de Jesus Cristo» como ele próprio declarou.
O culto do Anjo de Portugal teve o seu maior brilho nas cidades de Braga, Coimbra e Évora, e manteve-se na diocese de Braga onde se celebrava a 9 de Julho.
No tempo de Pio XII a festa do Anjo de Portugal foi restaurada para todo o País e transladada para o dia 10 de Junho a fim de que o Dia de Portugal fosse também o Dia do Anjo de Portugal.
Da generalizada devoção ao Anjo de Portugal dão fé muitas representações, sendo especialmente notáveis as imagens do mosteiro de Santa Cruz de Coimbra e da charola do convento de Cristo, em Tomar, a pintura da Misericórdia de Évora e a iluminura do «Livro de Horas de Dom Manuel».
O Anjo de Portugal é, até hoje, o único Anjo da Guarda de um país com culto público oficializado e foi o único Anjo da Guarda de uma nação que apareceu aos homens."
* * *
Vinde, Anjo de Portugal, livrar a Pátria e os portugueses de todo o mal.
* * *
Vinde, Anjo de Portugal, afastar da Pátria a vós confiada os males espirituais assim como tudo o que puder perturbar a paz dos portugueses.
(Do hino II Vésperas da Festa aos Anjos)
* * *
Deus eterno e ominipotente, que destinaste a cada nação o seu Anjo da Guarda, concedei que, pela intercessão e patrocínio do Anjo de Portugal, sejamos livres de todos os adversários. Por nosso Senhor.
(Das Vésperas do Dia do Santo Anjo da Guarda de Portugal)
* * *
NOTA: Este post reproduz uma pagela distribuída, nos anos 80, nas Igrejas de Portugal. Iniciativa a repetir!

3 Comentários:

Blogger Mendo Ramires disse...

Bela evocação. Mantenho essa pagela sempre bem perto.

terça-feira, outubro 10, 2006 1:52:00 da manhã  
Anonymous Frei Bento disse...

Espero que não!

terça-feira, outubro 10, 2006 7:20:00 da tarde  
Blogger JSarto disse...

Excelente!

quarta-feira, outubro 11, 2006 12:53:00 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial